CM Tecnologia / Jornada do Paciente  / Entenda o que é a Avaliação de Tecnologias em Saúde

Entenda o que é a Avaliação de Tecnologias em Saúde

Entre as diversas inovações que compõem o setor da saúde, tornou-se necessário criar um método de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS).

Não é novidade que diversos processos se desenvolveram para modernizar o atendimento em saúde. Entretanto, quando os recursos econômicos são limitados, saber quando aplicá-los é um desafio.

Por tecnologia em saúde, entende-se toda a técnica usada para levar saúde à população, como:

  • medicamentos;
  • equipamentos;
  • recursos técnicos;
  • sistemas organizacionais;
  • sistemas educacionais;
  • sistemas de informação;
  • sistemas de suporte;
  • programas e protocolos assistenciais.

Neste contexto, a ATS se apresenta com uma metodologia de investigação das consequências clínicas, econômicas e sociais decorrentes do uso das tecnologias na área da saúde. Para isso, é levado em consideração aspectos relacionados à eficácia, efetividade, segurança e custos.

Com um enfoque abrangente, as avaliações analisam diferentes fases do ciclo de vida da tecnologia – inovação, difusão inicial, incorporação, ampla utilização e abandono – por meio de diferentes perspectivas.

De posse dos resultados da pesquisa, os gestores das instituições de saúde, órgãos governamentais e organizações civis podem tomar decisões coerentes e racionais quanto à incorporação de novos procedimentos.

O usuário final também é beneficiado por ter acesso à legitimidade, benefícios e/ou implicações de um tratamento disponível no mercado, além de também poder fazer comparações de acordo com preço e eficiência.

A Avaliação de Tecnologias em Saúde tem diversos estudos que apontam as consequências tanto a curto quanto a longo prazo da adoção de determinado processo. Um deles é voltado ao aspecto econômico, buscando otimizar os recursos da instituição.

Com isso, é possível humanizar os atendimentos, oferecer uma escuta qualificada e criar projetos terapêuticos e singulares. Consequentemente garante-se assim a descentralização do poder de decisão e a contenção de gastos desnecessários.

Benefícios do uso de tecnologias em saúde

Por ser um mercado muito conservador e muitas vezes gerenciado por profissionais de formação voltada para o atendimento médico apenas, algumas inovações tecnológicas acabam demorando para serem introduzidas nas instituições.

Entretanto, é preciso entender que tecnologia e saúde são aliadas quando se trata de estabelecer maior interdependência técnica aos procedimentos. Sendo assim, referem-se a um amplo conjunto de disciplinas, setores e interesses, apresentando benefícios como:

  • abordar questões epidemiológicas, econômicas e políticas;
  • integrar gestores e profissionais de saúde;
  • coordenar as necessidades do mercado e dos pacientes;
  • aproximar os setores técnico, administrativo, de informação e atenção à saúde;
  • orientar a tomada de decisões multidisciplinares;
  • minimizar problemas clínicos.

Uso da tecnologia para melhorar o atendimento

A tecnologia pode e deve ser usada para melhorar a qualidade da informação e apoiar a gestão dos recursos. Entretanto, o processo de informatização dos hospitais e serviços de saúde continua muito lento.

As tecnologias sociais compreendem o que está voltado para a organização, administração, legislação e sistemas de vigilância. Essas ferramentas podem ser usadas na tomada de decisões, que afetam os gestores de diversas áreas.

O impacto está diretamente relacionado às condições socioeconômicas, de trabalho e comunicacional. As soluções estão ligadas a novas abordagens mercadológicas, como softwares de agendamento, que podem impulsionar mudanças significativas.

Devido à dinâmica existente no mercado da saúde, é fácil conhecer as tendências de maquinários. Entretanto, isso funciona de uma maneira diferente quando o assunto são as ferramentas administrativas.

Com um trabalho integrado e coordenado de ações é possível melhorar o atendimento, levando em conta, por exemplo, que um paciente insatisfeito nunca mais voltará à instituição que o atendeu mal.

Pensando assim, é necessário proporcionar uma experiência boa desde o agendamento até o acolhimento. Para isso, é necessário que a instituição utilize processos bem estruturados que permitam que os profissionais se atentem mais ao serviço humano do que às etapas burocráticas.

Uma das ferramentas à disposição é o software Central de Marcação Online, que permite maior autonomia ao paciente na marcação de consulta e procedimentos, facilitando a rotina e otimizando os recursos da instituição.

O melhor é que o modo como o sistema operacional funciona favorece a maximização dos recursos e vai de encontro aos resultados obtidos pelas pesquisas de Avaliação de Tecnologias em Saúde.

Sem comentários
Postar um comentário