CM Tecnologia / Jornada do Paciente  / Saúde e tecnologia: como os avanços tecnológicos revolucionam o mercado healthcare?

Saúde e tecnologia: como os avanços tecnológicos revolucionam o mercado healthcare?

Foi-se o tempo no qual se falava em saúde e tecnologia como esferas separadas. Isso porque, hoje, avanços tecnológicos na saúde têm impactado diretamente as instituições do ramo. Tanto que é possível perceber suas potencialidades nos processos de organização, melhorias de segurança, processamento de dados e na própria prática médica dentro de hospitais e clínicas, por meio do suporte com equipamentos e sistemas de diagnóstico e atendimento.

A nível social, esses impactos também podem ser percebidos claramente, já que a sociedade vem tendo acesso a atendimentos mais ágeis e assertivos tanto nas instituições privadas quanto no sistema público.

Como sabemos que falar de tecnologia e saúde é discutir um tema difícil de se esgotar, no post abaixo, separamos algumas novidades tecnológicas que estão transformando as relações na área. Continue lendo para descobri-las!

O que há de novo?

Internet industrial na saúde

A tecnologia está em constante evolução. Passamos atualmente pela quarta ruptura industrial, conhecida popularmente como Indústria 4.0.

No Brasil, as empresas investem em desenvolvimento tecnológico e aplicam esses recursos em seu processo de produção.

Neste contexto, nasce o conceito de Internet Industrial. Unindo máquinas inteligentes, análises computacionais e trabalho colaborativo, esse novo modelo de uso do tecnológico integra pessoas e gera mudanças operacionais.

Para entender melhor a essência deste termo, pode-se destrinchar os seguintes elementos:

  • máquinas inteligentes: conectadas por redes de internet, sensores, controles e aplicativos de software avançados;
  • análises avançadas: que utilizam algoritmos preditivos, automação e dados avançados da ciência;
  • conexão de pessoas: conectar pessoas em qualquer lugar e a qualquer momento para troca de informações e promoção de projetos.

Esse novo cenário une tecnologias na saúde como a inteligência artificial, a computação em nuvem, o Big Data e também a internet das coisas (IoT). Essa junção permite conexão e comunicação entre máquinas, dispositivos e pessoas.

Telemedicina

Telemedicina é o uso de TI e telecomunicações para fornecimento de informação e atenção médica a pacientes e também outros profissionais de saúde à distância.

O objetivo é que a distância deixe de ser um problema para o atendimento de pacientes, trazendo agilidade e eficiência ao trabalho das instituições de saúde.

Este recurso permite acesso às informações e à assistência primária em saúde mesmo em populações que habitam locais afastados dos grandes centros e com pouca infraestrutura.

Os atendimentos à distância podem ser realizados via internet, em plataformas online de teleconferência, por exemplo.

Outros meios de comunicação utilizados podem ser os telefones fixos, celulares, tablets ou robôs. Em alguns países, como os EUA, a telemedicina já começa a ser aplicada na área de saúde.

Inclusive, lá existe um órgão regulador da prática. Chamado de American Telemedicine Association (Associação Americana de Telemedicina, em tradução livre), tem reconhecimento do Conselho Federal de Medicina.

Embora seja um recurso muito recente, alguns hospitais e instituições de Saúde iniciaram a utilização da tecnologia para tratamentos e troca de informações. Alguns exemplos da telemedicina são análises de exames de prevenção contra as doenças crônicas da terceira idade, além de outros tratamentos que teriam um custo muito elevado sem a telemedicina.

Softwares Integrados

Outro avanço tecnológico na área da saúde é a possibilidade de integração de novos softwares. A integração ocorre quando dois ou mais produtos processam e analisam um mesmo banco de dados, proporcionando uma visão unificada para a gestão.

As vantagens dessa integração se dá pela segurança dos dados e otimização do atendimento, já que não ocorre perda de dados e os processos tornam-se mais ágeis. Desta forma, há uma elevação na qualidade do serviço prestado pela instituição devido à redução do tempo médio de atendimento (TMA) e da humanização das relações entre profissionais e usuários.

Com as inúmeras opções disponíveis, é preciso priorizar as necessidades da instituição na hora de escolher os melhores softwares e ferramentas. Uma pesquisa comparativa revelará qual o sistema que melhor se adequa à realidade da organização.

Avanços tecnológicos na saúde: como avaliar e implantá-los?

Como apresentado, o setor da saúde dispõe de diversas inovações tecnológicas. Entretanto, quando os recursos econômicos são limitados, saber como aplicá-las é um desafio. Desta forma, tornou-se necessário criar um método de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS).

A ATS é uma metodologia que investiga as consequências clínicas, econômicas e sociais decorrentes da aplicação de tecnologias na área da saúde. Os aspectos levados em consideração na análise são: eficácia, efetividade, segurança e custos.

Com os resultados da pesquisa, gestores de instituições de saúde e demais organizações ficam providos de informações para tomar decisões coerentes e racionais quanto à implementação de novas tecnologias.

Os benefícios da Avaliação de Tecnologias em Saúde são diversos!

Nos aspectos gerencial e econômico, são percebidas a otimização dos recursos da instituição e a contenção de gastos desnecessários. Outro aspecto é o ganho em humanização dos atendimentos, oferecendo uma escuta qualificada e tratamentos personalizados.

Antes da implantação de uma nova tecnologia, a instituição deve realizar um planejamento cauteloso, abrangendo ações relacionadas a todas as áreas e pessoas que serão afetadas.

Na hora de introduzir a tecnologia, é importante se atentar a:

  • revisão de processos;
  • treinamentos;
  • comunicação clara entre setores e membros da equipe.

O primeiro passo de uma instituição para acompanhar os avanços tecnológicos na saúde pode ser por meio da agenda online. Veja o vídeo tutorial e entenda como essa solução funciona para hospitais e clínicas.

Sobre o autor:

Felipe Lourenço é especialista em Informática e Gestão em Saúde pela Universidade de São Paulo (USP) e atua no campo de saúde e tecnologia. É co-founder & CEO do iClinic, um software online de gestão que organiza as informações de clínicas e consultórios de maneira simples e intuitiva, tornando os processos mais inteligentes e produtivos.

Sem comentários
Postar um comentário