Hotelaria hospitalar: tudo que você precisa saber

Há pouco mais de uma década, a hotelaria hospitalar não fazia parte do cenário dos hospitais brasileiros. O que importava era apenas a competência do médico e a limpeza aparente do lugar.

Entretanto, os pacientes estão passando a conhecer cada vez mais seus direitos de serem bem atendidos. Com isso, desde os anos 90, as instituições de saúde têm percebido que precisam corresponder não só às necessidades patológicas de quem é atendido, como também às expectativas de sua família e funcionários do hospital sobre conforto, etc.

A partir daí, começou-se a vincular a medicina tradicional aos serviços de hotelaria, fazendo surgir a hotelaria hospitalar, que detalharemos ao longo do texto.

 Conceito

De acordo com Marcelo Boeger, coordenador da especialização em hotelaria hospitalar do Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (2003: 24), “hotelaria hospitalar é a reunião de todos os serviços de apoio, que, associados aos serviços específicos, oferecem aos clientes internos e externos conforto, segurança e bem-estar durante seu período de internação”.

Hotelaria Hospitalar: um diferencial no setor de saúde

Atualmente, a hotelaria hospitalar configura uma série de vantagens competitivas para a organização. Sabemos que uma das principais diferenças entre os hospitais são os serviços prestados neles.

Por isso, a hospitalidade deve ser a melhor e mais agradável possível para que a instituição se destaque entre as outras do mesmo setor. Ou seja, é mais um diferencial para a organização se destacar frente à concorrência.

Com sua área em constante crescimento, o serviço de Hotelaria Hospitalar corresponde hoje à segunda maior folha de pagamentos dos hospitais no Brasil. Isto é, corresponde ao segundo maior custo.

Quando você implanta a hotelaria hospitalar e presta um serviço de qualidade diferente dos padrões vigentes no mercado, a estrutura física e operacional do hospital se destaca ainda mais com relação às outras instituições.

Desta forma, o paciente cria uma boa impressão sobre a instituição, pois se sente acolhido e bem acomodado. Como consequência, ele se fideliza a ela.

Devemos estar cientes que nem sempre a ciência e as novas tecnologias serão o suficiente para atender a um paciente da melhor maneira. No entanto, com a tecnologia atual, já é possível atender grande parte dos sentimentos e vontades do paciente.

Humanização do Atendimento

Sabemos que humanizar é a chave para criar bons laços da instituição com o pacienteEsse conceito vai muito além das boas maneiras e boa comunicação com o enfermo. É aí que entra a necessidade de dispor das funções de hotelaria.

Devemos considerar o fato de que, ao ser hospitalizado, o paciente “se afasta” de toda a sua realidade. Melhorar isso é apenas uma forma de estreitar as relações interprofissionais com o usuário.

Cabe à organização suprir essa falta, oferecendo, além dos cuidados especializados, todas as formas possíveis de contato com o mundo lá fora, alguns exemplos são:

  • Telefone;
  • Televisão;
  • Jornais
  • Revistas;
  • Wi-Fi.

O atendimento humanizado é lembrado pelo paciente, além de ser bom para ele e para os colaboradores.

Quando as instituições realizam a humanização do atendimento, isso gera uma relação de confiança entre os colaboradores e, automaticamente, uma redução no turn-over de funcionários.

Estrutura de uma instituição que conta com Hotelaria Hospitalar

A estrutura de um hospital que conta com serviços de hotelaria pode variar, principalmente pelo fato de esta ainda não ser uma atividade recorrente entre as organizações.

Geralmente, a estrutura básica de um serviço de hotelaria hospitalar tem leitos com mobílias e equipamentos de maior qualidade, que engloba, entre outros detalhes:

  • Lavanderia;
  • Camareiras;
  • Rouparia;
  • Higiene;
  • Limpeza;
  • Gerenciamento de resíduos e sólidos;
  • Serviços de nutrição e dietética;
  • Lanchonetes e restaurantes;
  • Paisagismo;
  • Segurança;
  • Áreas de lazer.

Desta maneira, o hospital deixa de ser um ambiente frio e impessoal e torna-se mais acolhedor e prazeroso, dentro do possível, é claro.

Todos esses aspectos visam proporcionar uma melhor e mais agradável estadia ao paciente, que já está em um ambiente que não gostaria, para tratar de algum problema. Portanto, nada melhor do que alguns cuidados que o deixarão mais confortável.

Vantagens da Hotelaria Hospitalar

Existem muitas vantagens na gestão administrativa e nos retornos financeiros da organização quando implantado o sistema de Hotelaria Hospitalar.

De acordo com Boeger, quando ela é aplicada, o tempo do serviço assistencial é otimizado. Em instituições que não dispõem de hotelaria, o serviço pode tomar cerca de 25% do tempo do setor de enfermagem. Com a hotelaria, evita-se o retrabalho e a equipe de enfermagem fica livre para realizar outros serviços que lhe cabe.

Além disso, o modelo de gestão somado à hotelaria hospitalar pode contribuir para a redução de gastos e aceleração de faturamentos que auxiliam na produtividade da organização.

A Hotelaria Hospitalar na prática

Apesar de a implantação de um sistema de Hotelaria Hospitalar envolver, muitas vezes, a adaptação da estrutura física do hospital, as maiores mudanças ocorrem na gestão. Tem de haver uma quebra de antigos conceitos de atendimento como a frieza e a impessoalidade.

Para introduzir um serviço como a hotelaria, Boeger aconselha iniciar o processo com um organograma (tipo de gráfico organizacional de estrutura vertical), reunindo áreas de apoio em uma espécie de gerência de hotelaria.

Feito isso, os próximos passos são:

  • Determinar orçamentos;
  • Criar sistemas de rateios;
  • Planificar custos, transferindo seus gastos às áreas de negócio;
  • Revisar fluxos e interfaces.

Tudo isso tornará o processo menos burocrático!

A estrutura física do hospital deve ser adequada à hotelaria para que o serviço seja bem executado. Por fim, devem ser estabelecidos indicadores para serem medidos e iniciar um processo de capacitação da equipe, para que os profissionais possam corresponder de maneira positiva à nova estrutura do hospital.

Entretanto, não são suficientes mudanças apenas na estrutura organizacional da instituição de saúde. É fundamental que haja um ajuste na cultura organizacional do hospital (conjunto de valores, normas, crenças e rituais da empresa).

Qualquer mudança pode gerar resistência, portanto, ela deve ser vista pelos profissionais do hospital como oportunidade e não dificuldade ou ameaça. Assim, é executada mais facilmente e trazendo os benefícios mais rapidamente.

Tendências

A hotelaria hospitalar não é considerada uma tendência, apesar de não ser tão comum entre os hospitais do país. Entretanto, ela já é uma realidade que está à disposição das instituições privadas de saúde do Brasil há mais de dez anos.

Dentro desta prática, existem diversas tendências para favorecer a relação organização-paciente. Entre elas, podemos citar:

  • Busca por qualidade;
  • Cuidado com foco no paciente;
  • Capacitação da equipe;
  • Gerenciamento de leitos.

 Busca por qualidade

Esta é uma tendência geral de todos os setores da saúde e, no contexto atual, não estaria fora do segmento da hotelaria hospitalar.

A busca por qualidade engloba, a nível administrativo, a otimização de recursos, redução de retrabalho e menor burocratização dos processos.

Além disso, a qualidade garante a satisfação e bem-estar do paciente e aumenta a possibilidade de fidelização à instituição.

Cuidado com foco no paciente

Depois de considerar os conceitos e propósitos da hotelaria hospitalar, parece óbvio citar o cuidado com foco exclusivamente no paciente.

Este cuidado é uma forma de parceira dos profissionais da saúde com o paciente e seus familiares, para garantir que decisões médicas considerem e respeitem as vontades destes com relação a seus tratamentos.

O cuidado com foco no paciente visa principalmente conceder autonomia, de modo a tornar ele e sua família as partes mais importantes de todo o processo.

Capacitação da equipe

Na área da saúde, ainda não vemos, com frequência, profissionais capacitados nos serviços de hotelaria. Da mesma forma, não costumamos ver profissionais de turismo/hotelaria especializados em saúde.

A contratação de profissionais das áreas citadas acima é um tema recorrente dentro da hotelaria hospitalar, porém, todos eles devem ter especialização na área da saúde.

Portanto, a capacitação da equipe já existente no hospital é a melhor saída, eles já lidam com pacientes e com o ambiente hospitalar no seu dia a dia, precisando apenas de instrução a nível técnico ou profissional para atuar em hotelaria.

Gerenciamento de leitos

Em muitos hospitais, grande parte das dificuldades de governança hospitalar acontecem por conta do mau gerenciamento dos leitos. Para melhorar resultados, todos os espaços do hospital devem estar sempre em plena produtividade; uma boa saída são os sistemas integrados que possibilitam a comunicação entre os setores do hospital.

Um exemplo disso é a interação entre equipes de limpeza e recepção: ao término da liberação e higienização de um quarto, a recepção já estará ciente.

A otimização e integração de disponibilidade de acordo com o número de pacientes e serviços é algo que se tenta alcançar nos sistemas que possuem a hotelaria integrada.

Helpnex – Sistema de Chamada de Enfermagem

Como citamos acima, uma boa saída na estratégia de gerenciamento de leitos poderia ser um sistema capaz de integrar a comunicação entre os diversos setores do hospital.

O software Helpnex, da espanhola Biocam, foi criado justamente para atender a essa questão. A ferramenta torna disponível a integração de todas as áreas do hospital, desde chamadas entre paciente e enfermeira, ao setor de nutrição, à hotelaria, recepção, etc.

Além disso, segundo Rogerio Ulbrich, diretor da Biocam, o sistema, econômico e de fácil implantação, permite a documentação de todos os procedimentos. Ele também faz o gerenciamento do processo de atendimento com qualidade e segurança.

As instituições que já possuem a tecnologia, podem contar com:

  • Terminal VoIP/SIP em cada quarto;
  • Supervisão e programação centralizada;
  • Melhora os processos de atenção ao paciente;
  • Comunicação com postos de controle fixos e móveis;
  • Comunicação pessoal, administrativa e contábil centralizada;
  • Melhora o processo de assistência à saúde;
  • Base de dados standard com possibilidade de integração;
  • Funcionalidades de automação;
  • Modularidade simples;
  • Melhor processo de fluxo e trabalho.

*Fonte: Biocam

Como fidelizar o paciente a partir da Hotelaria Hospitalar

Hoje em dia, as instituições privadas de saúde estão cada vez mais competitivas e visam a todo momento aumentar sua gama de pacientes.

Muitas delas fazem isso através dos serviços de Hotelaria Hospitalar.

A reputação da marca da instituição é construída, sobretudo, pela opinião do paciente com relação à ela. Com a Hotelaria Hospitalar, o paciente provavelmente se lembrará de forma positiva dos cuidados específicos dirigidos a ele. Essas coisas fazem toda a diferença

Com isso, os velhos e negativos conceitos de “cheiro de hospital”, “comida com gosto de hospital”, não devem mais existir aos olhos do paciente.

Sem contar que é possível inovar dentro da hotelaria criando um enorme diferencial de marca. Um exemplo disso é fornecer às crianças internadas, algum brinquedo que lhe trará conforto ou adaptar o atendimento para cada enfermo.

Estas ações são detalhes que trarão bem-estar ao paciente e o farão avaliar bem a organização, voltar quando necessário, e indicar a quem precise.

Os números não mentem

Assim como em todo mercado, principalmente na saúde, é sempre bom estar atualizado. Pensando nisso, trazemos abaixo o número de pessoas internadas no brasil em 3 meses no ano de 2017.

Cerca de 2.746.108 Brasileiros foram internados entre junho, julho e agosto de 2017.

O número é alto! Imagine agora, se todas essas pessoas não tiverem o mínimo do que a hotelaria hospitalar pode proporcionar ao paciente?

Comparado com o ano passado, houve uma queda de 6,20% nos investimentos com saúde implementados pelo governo.

É preciso começar a usar esses dados a seu favor, imagine ter boa parte desse número na sua cartela de clientes fidelizados?

Conclusão

Vimos que a adesão a serviços de Hotelaria Hospitalar se tornou uma ação praticamente indispensável, principalmente para as grandes instituições de saúde.

Proporcionar bem-estar ao paciente já não deveria mais ser visto como uma opção, e sim como uma obrigação de todos os hospitais e organizações com áreas de internação.

Sem dúvidas, ações como as que citamos ao longo deste texto não são capazes de trazer a cura de um paciente. Entretanto, elas certamente contribuirão para uma melhor estadia deste enquanto estiver em sua instituição, trazendo mais conforto, qualidade de vida e segurança a ele.

Não deixe de compartilhar conosco sua opinião e conhecer os nossos outros conteúdos clicando aqui! Caso restem dúvidas, entre em contato com a gente pelos comentários. Estaremos dispostos a tentar ajudá-lo.

CTA

Atendimento Humanizado: 5 motivos para implantar

Em um contexto no qual instituições têm trocado o trabalho mecânico por mais interação com o cliente, falar em humanização parece fundamental para se destacar no mercado valorizando a humanidade do outro. Mas, afinal, como lidar com o paciente de forma humanizada? Aliás, antes de tudo, é importante entender o que é atendimento humanizado. Vamos lá?

Quando um paciente entra pela porta da instituição, ele normalmente está (ou suspeita estar) com algum problema de saúde, certo?

Podemos inferir, portanto, que ele está frágil e inseguro. A forma com que ele é recebido, desde o primeiro contato com pessoal do atendimento, faz toda a diferença!

Pensando nisso, o Projeto de Humanização Hospitalar foi criado em maio de 2000 pelo Ministério da Saúde com o intuito de promover uma nova cultura de atendimento na saúde que apoiasse as melhorias na qualidade dos serviços prestados.

Diretrizes e benefícios do atendimento humanizado

De acordo com o Ministério da Saúde, a humanização da saúde deve permanecer como uma diretriz transversal que favorece:

  • A troca e construção de saberes;
  • O diálogo entre profissionais;
  • O trabalho em equipe;
  • Consideração às necessidades;
  • Desejos e interesses dos diferentes protagonistas do campo da saúde.

Existem vários benefícios na implantação desse tipo de atendimento. Entre eles, elencamos:

  • Memorabilidade (facilidade de ser lembrado pelo paciente);
  • Benefícios para todos os envolvidos, inclusive colaboradores;
  • Contribui para a eficácia do cuidado ao paciente;
  • Forte relação com a ética;
  • Fidelização, facilidade em ganhar a confiança do paciente.

Nos tópicos a seguir, daremos mais detalhes sobre a importância dos 5 itens supracitados. Continue conosco!

O atendimento humanizado é lembrado

Com certeza você já ouviu comentários do tipo:

“ Eu gosto de ir a determinado hospital, porque lá eu me sinto acolhido

Dialogar com o paciente é uma premissa básica para um atendimento eficiente. Infelizmente, alguns profissionais não têm isso como prioridade e acabam padronizando seus contatos.

Sabemos que é impossível lembrar de cada indivíduo, cada problema que ele teve, entre outras coisas. Entretanto, não custa, talvez, anotar essas informações para estreitar as relações com os pacientes.

É interessante para quem é atendido saber que alguém está dando atenção a ele num momento difícil. Muitas vezes, só de ser ouvida, a pessoa já se sente mais aliviada e o tratamento flui de forma mais tranquila e confiante.

Resumindo: quem atende de forma humanizada é, consequentemente, muito mais recomendado por seus pacientes.

Bom para todos, inclusive para os colaboradores

Não adianta ser delicado com o paciente e tratar os funcionários de forma indiferente ou grosseira, certo? As instituições que conseguem atender seus pacientes com humanização geralmente já internalizaram essa forma de atendimento em sua própria equipe, conseguindo ter um processo geral mais íntegro e coeso.

Isso provoca uma relação de confiança com os colaboradores, ganho de produtividade e, ainda, queda na rotatividade dos funcionários.

Quando o atendimento é humanizado, todo mundo sai ganhando: a equipe, o paciente, o médico e a instituição.

O atendimento humanizado contribui para a eficácia do cuidado com o paciente

Diversas pesquisas provam que o atendimento humanizado, com foco nas reais necessidades do paciente, contribui de forma determinante para acelerar o seu processo de cura.

Isso acontece devido à influência psicológica existente numa situação delicada. Pacientes que são atendidos de maneira humanizada têm mais confiança na equipe e nos tratamentos, além de responderem melhor aos recursos clínicos.

A humanização da saúde está diretamente relacionada à ética

A humanização é um pré-requisito básico para qualquer instituição que almeja o sucesso!

Para que o cuidado seja efetivo e traga resultados, é necessário ouvir, conversar, entender os hábitos e o histórico dos pacientes.

Como nenhum ser humano vem com um manual de instruções, é preciso buscar outras formas de conseguir as informações necessárias para realizar o melhor tratamento.

A ética está totalmente relacionada ao uso de recursos que estão de acordo com a situação e a necessidade de cada indivíduo. Sem desrespeitar seus limites, mas buscando a proximidade e a confiança com o paciente.

Será mais fácil promover confiabilidade 

Se o paciente for bem atendido e sair satisfeito, a chance de retorno no futuro é muito maior, concorda?

Com a satisfação, abrem-se portas para as possibilidades de indicação à outras pessoas que também precisam. Qualquer outra demanda por atendimento que surgir, o primeiro lugar que ele procurará é a instituição que o atendeu bem.

Quem atende de forma humanizada contempla todas as etapas da jornada do paciente com um olhar acolhedor e uma atitude firme e positiva.

Isso gera resultados positivos para a instituição, que aumentam drasticamente a satisfação do paciente e o volume de indicações.

Pontos a serem considerados

A humanização hospitalar tem como meta que todos saibam quem são os profissionais que cuidam de sua saúde.

  • As unidades de saúde devem garantir os direitos do usuário (Código de Direitos do Usuário) e possibilitar o acompanhamento por seus familiares;
  • Deve haver redução de filas com avaliação de riscos, agilidade e acolhimento;
  • As unidades de saúde devem garantir a gestão participativa aos seus trabalhadores e usuários.

Esses são alguns dos princípios a serem cumpridos na implantação da humanização hospitalar. Eles têm como objetivo a melhoria das estratégias gerais e a participação da sociedade para o aprimoramento de resultados.

E então?

Viu só como o atendimento humanizado coloca o paciente em primeiro lugar?

É preciso lembrar que o paciente é o protagonista do mercado da saúde. Deve-se, portanto, considerar seus pontos de vista, suas necessidades e seus anseios para promover um melhor atendimento.

Ele quer ter a certeza de que será atendido de forma satisfatória, e que todos os seus problemas serão resolvidos ou o mais rápido possível. Lembre-se: o tom de voz, os gestos e o olhar da equipe dizem muito nesse momento. O fácil acesso à informação também é um ponto que merece muito destaque!

Cada etapa pela qual o paciente passa deve ser devidamente informada a ele ou seus familiares, para que ele tenha conhecimento de cada novidade em seu tratamento.

audiobook 6 dicas

Saiba como um sistema para hospital ajuda na gestão da clínica

Para colocar em prática uma gestão clínica centrada no atendimento em saúde é preciso incorporar elementos. Implantar a tecnologia de um sistema para hospital é uma das opções que facilitará a rotina e agilizará processos.

Usar um suporte lógico não é apenas uma mudança tecnológica, mas também a chance de rever as práticas mecânicas. Com isso, é possível tornar as tarefas mais dinâmicas, aumentando a segurança dos dados e informações.

Ao combinar uma gestão eficiente com um sistema de qualidade otimiza-se o tempo dos colaboradores. Assim, é possível oferecer melhor atenção aos usuários que, uma vez satisfeitos com o serviço, acabam se fidelizando à instituição.

Com isso, há significativa melhora na comunicação entre os profissionais, o que reduz a incidência de erros. Um sistema de gestão pode englobar todo o histórico clínico do paciente e disponibilizá-lo para a equipe de atendimento.

Para os médicos isso representa considerável melhora no processo de tomada de decisão clínica e definição da linha de cuidado. Tudo de forma mais ágil e assertiva.

Existem também as opções que gerenciam diversos setores simultaneamente. Esses softwares acompanham toda a jornada do paciente, além de questões financeiras e administrativas.

A implantação desses sistemas para hospitais consiste no treinamento dos colaboradores e na implementação dos fluxos de trabalho de cada área.

O sistema para hospital no dia a dia

Para alcançar equilíbrio entre qualidade de atendimento e ampliação do faturamento é preciso atentar para quatro requisitos fundamentais:

  1. Módulo assistencial – a implantação do sistema precisa condizer com a mudança de perfil do usuário. Com tanta disponibilidade de informação, os pacientes estão mais conscientes do cuidado com a sua saúde. É preciso, portanto, dispor de soluções intuitivas e oferecer atendimento personalizado.
  2. Módulo de gestão financeira e recursos – com ele é possível planejar o funcionamento da clínica, gerindo cobranças e pagamentos. Assim, é possível preparar-se para um crescimento sustentável a longo prazo.
  3. Automatização de processos – atividades como agendamento podem ser transferidas ao ambiente virtual, reduzindo erros humanos e concentrando os colaboradores em atividades mais estratégicas.
  4. Mobilidade – este requisito garante que o programa seja acessado de qualquer lugar, facilitando a vida dos médicos e pacientes.

Estas premissas definem os recursos que serão aplicados em investimentos, determinando como manter a qualidade dos serviços dentro do orçamento. Assim é possível avaliar perdas e analisar a evolução das glosas.

Com isso, o papel do profissional de faturamento passa a ser o de auditor de contas. O cruzamento dos dados disponibilizados identifica gaps e possibilita o desenvolvimento de uma estratégia que resolva os problemas.

O uso dessa tecnologia tem impacto em todo o funcionamento do hospital. A gestão de estoque torna-se mais eficaz, a cobrança das operadoras de saúde é exata e aumenta-se o controle de procedimentos.

O sistema de gestão, além de gerir glosas, tem a função de evitá-las. As informações reunidas e disponibilizadas em um mesmo local ajudam a comprovar às operadoras que as cobranças estão corretas.

Isso aumenta o faturamento e gera economias consideráveis ao diminuir significativamente o uso de papel e tinta. O gestor pode então avaliar o que a instituição é capaz de ganhar sem ter perdas que comprometem o serviço.

O papel da auditoria neste contexto

O auditor é a figura que gerencia e fiscaliza as atividades desenvolvidas na instituição. É ele quem auxilia o gestor a identificar erros que causam prejuízo, promovendo um trabalho de qualidade.

Desse modo, uma proposta que relaciona custo e benefício é estabelecida para melhorar a qualidade do atendimento. O uso de sistemas facilita a utilização e organização de recursos.

Isso diminui a ocorrência de retrabalhos, complexidade desnecessária e desperdício de tempo e material. Consequentemente a instituição alcança novos níveis de eficiência, satisfação e segurança de dados.

A auditoria específica para o setor de saúde deve seguir normas técnicas e administrativas, que visam:

  • evitar a execução de procedimentos desnecessários;
  • abolir práticas ruins em todo o processo de atendimento;
  • monitorar a qualidade dos serviços;
  • equilibrar padrões e resultados da assistência;
  • estabelecer o funcionamento e desempenho de todos os serviços.

Além disso, é função da auditoria fiscalizar contratos e ter conhecimento dos acordos estabelecidos entre as partes. O sistema para hospital entra nesse cenário para facilitar e integrar a rotina das instituições.

Modalidades da auditoria hospitalar

Com dimensões, níveis e aplicações diferentes, a auditoria pode assumir vários papéis, são eles:

  • prevenção – os procedimentos devem ser validados antes de serem realizados;
  • operação – é feita a observação direta dos fatos durante e após os procedimentos, com acompanhamento do prontuário do paciente;
  • contábil – acontece antes do envio da conta final, garantindo que todas as cobranças estejam corretas;
  • analítico – analisa os relatórios e processos levantados na prevenção e operação, gerindo com excelência os recursos organizacionais;
  • administrativo – avalia questões relacionadas às necessidades do paciente.

A auditoria é fundamental na gestão e faz com que os hospitais sobrevivam e se destaquem no mercado. Além disso, favorece a qualidade do atendimento e dos serviços prestados, ao mesmo tempo que proporciona equilíbrio financeiro.

Benefícios do sistema para a farmácia hospitalar

A farmácia hospitalar abrange as áreas: administrativa, de faturamento e de atenção ao paciente. Além disso, é responsável pela garantia da qualidade e revisão constante dos medicamentos e materiais.

Com um bom sistema de gestão é possível realizar um controle eficaz do estoque. Agilizando o processo de preparação dos materiais e medicamentos necessários em uma cirurgia pela integração de setores.

Entre os deveres correspondentes ao setor farmacêutico estão:

  • determinar quanto será comprado de cada material;
  • identificar prazos de validade ou danos;
  • realizar inventários;
  • atender a demanda de medicamentos e materiais para cirurgias;
  • registrar a saída de produtos.

Assim é calculado o parâmetro de compra que servirá de base para atualização constante do estoque. Com a informatização dos processos esses dados passam a ser mensurados com frequência e exatidão.

Um bom planejamento é necessário para que haja um padrão neste processo. Ao contratar um sistema, o cálculo de parâmetro é automático e fica disponível para verificação do estoque.

Integrando softwares

Para potencializar o funcionamento do programa é possível contratar um software hospitalar. Após a integração, os dois sistemas passam a funcionar juntos para otimizar o funcionamento da unidade de saúde.

É possível contratar serviços diversos, que oferecem marcações de consultas on-line, confirmação automática de procedimentos, pagamentos facilitados e outros.

Entre as opções disponíveis no mercado, a CM Tecnologia se destaca pela preocupação com a excelência do atendimento e agilidade dos procedimentos.

Para entender como funciona essa integração com o sistema para hospital é só acessar o vídeo explicativo, e descobrir todas as facilidades que a tecnologia tem a oferecer.

EbookDezCTA (1)

Conheça os 8 melhores softwares para clínicas do mercado

Todas as instituições de saúde, grandes ou pequenas, enfrentam problemas organizacionais que poderiam ser minimizados com um software para clínicas. As soluções melhoram tanto o atendimento na saúde quanto a administração das unidades.

Ao optar por um sistema operacional, as plataformas inteligentes e interativas otimizam o tempo e agilizam as rotinas de trabalho. Existe grande variedade, mas o mais adequado deve ser um fator de mudança interna. O que se deve levar em conta é:

  • Segurança de dados;
  • Atendimento personalizado;
  • Prescrição digital;
  • Armazenamento em nuvem;
  • Integração de recursos e funções;
  • Redução de custos;
  • Diminuição de erros.

Com tantas opções, o desafio aqui é descobrir qual programa é melhor. Para resolver essa questão, é preciso atentar para as necessidades básicas e individuais de cada consultório.

Uma ótima dica é listar os problemas que precisam de solução. Da posse das dificuldades que devem ser superadas é possível escolher o software médico que mais se encaixa.

Existem aqueles que oferecem opções eficazes para o armazenamento de prontuários, enquanto outros lidam melhor com a parte gerencial. Por isso, é de suma importância entender quais os setores possuem déficits.

Para acertar na escolha, é indispensável fazer uma pesquisa dentre as opções disponíveis no mercado. A melhor contratação será a que se adequar à realidade orçamentária da organização e aprimorar os processos.

A grande vantagem de usar esse tipo de utilitário é que ele se adapta ao ERP já usado pela instituição e oferece um serviço personalizado. Assim, o sistema fica totalmente voltado às necessidades do cliente.

Buscando facilitar essa pesquisa, separamos abaixo alguns softwares de saúde e os diferenciais que cada um deles apresenta. Confira:

8 softwares para clínicas e hospitais

ContSelf

  • Viabiliza uma gestão financeira eficiente;
  • Elimina a bitributação (pagamento de impostos em duplicidade) gerando economia de até 40% em impostos;
  • Inteligência que possibilita a divisão de pagamentos entre a instituição e os prestadores de serviços;
  • Emissão de recibos e notas fiscais de forma automatizada;
  • Integração com sistemas clínicos;
  • Acesso ao APP em qualquer dispositivo móvel;
  • Os pacientes podem acessar suas notas fiscais ou recibos médicos pelo aplicativo.

SPDATA

  • Integra os sistemas de informações gerenciais;
  • Promove fluxos de informação contínuos;
  • Permite o controle de estoque;
  • Realiza a gestão do bloco cirúrgico;
  • Desempenha a administração de contas.

Smart

  • Possui um módulo para gestão de prestadores de serviço e negociações;
  • Soluções de fácil integração com CNAB e DMED;
  • Oferece armazenamento de informações em Cloud compartilhado ou infraestrutura da operadora de saúde;

4Medic

  • Conta com prontuário eletrônico;
  • Posui chat interno;
  • Trabalha com receituário inteligente e controle financeiro;
  • Tem como diferencial uma sala de espera virtual para controle do TMA (tempo médio de atendimento).

XClinic

  • Permite gestão de resultados por meio de relatórios e gráficos;
  • Conta com um prontuário eletrônico com recursos textuais e multimídia;
  • Faz o registro dos faturamentos, refaturamento e rateio;
  • Desenvolve relatórios detalhados da produtividade da instituição.

OnMed

  • Disponibiliza o controle completo de faturamento;
  • Possui chat interno;
  • Apresenta tabelas MPTUSS, CID e geração de arquivos XML;
  • Cadastra profissionais, documentos, atestados, laudos e encaminhamentos.

ProDoctor

  • Guarda todas as anamneses e evoluções do paciente;
  • Anexa imagens e documentos diversos do tratamento do paciente;
  • Lista cada retorno do paciente;
  • Gera e imprime receitas, laudos e atestados personalizados;
  • Calcula automaticamente as doses dos medicamentos na receita médica.

Por último, mas não menos importante, não poderíamos deixar de falar das soluções da CM. Embora não trabalhemos com ERPS, nossas soluções também cooperam para a redução de custos dentro das instituições de saúde e a automação dos processos. Confira algumas de nossas potencialidades:

CM Tecnologia

  • Oferece agendamento on-line;
  • Permite a confirmação de pagamento;
  • Lembra automaticamente os procedimentos agendados (por SMS e E-mail);
  • Possui check-in por QR Code;
  • Permite o acesso de resultados on-line.

A CM Tecnologia humaniza a jornada do paciente, deixando-a mais completa. Além das facilidades para o usuário, a empresa oferece às instituições de saúde considerável redução na taxa de absenteísmo, alivia o call center e não possui limite de marcações de consultas ou exames, com disponibilidade 24h por dia nos sete dias da semana. Vale lembrar que a CM faz integração com todos os ERPs do mercado.

Para conhecer melhor como funciona o software para clínicas, acesse o vídeo tutorial e veja abaixo como será o futuro de sua instituição com uso da tecnologia!

CTA

Prontuário eletrônico: essencial para quem deseja se destacar

Prontuário eletrônico do paciente ou PEP é uma ferramenta que gere a informação contida nos prontuários das instituições de saúde. Essa ferramenta tem agilizado as atividades dos médicos pelas facilidades que ela oferece, as quais falaremos mais abaixo neste artigo.

Porém, antes de falarmos mais profundamente sobre o tema, precisamos entender também o que significa RES.

RES: Registro eletrônico de saúde

O Registro eletrônico de saúde possibilita aos médicos criarem arquivos do histórico clínico, ou seja, permite armazenar e compartilhar as informações de um paciente.

Frequentemente, na mudança de turno e troca de médicos, as informações se perdem, aumentando a probabilidade de ocorrência dos erros.

Aqui, parece óbvio dizer que os dados contidas nos prontuários eletrônicos são restritos aos médicos e ao paciente por se tratar de informações sobre a vida privada deste.

Com o objetivo de regulamentar e estabelecer normas sobre a utilização do Prontuário Eletrônico/Registo Eletrônico de Saúde, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) estabeleceram um convênio de cooperação técnico-científica que está em vigência desde 2002.

Esse convênio entre CFM e SBIS propiciou a criação de um processo de Certificação de Sistemas de Registro Eletrônico de Saúde.

Com o estabelecimento dos requisitos obrigatórios, acompanhados da legislação federal para documento eletrônico, reforçou-se a obrigatoriedade do uso da assinatura eletrônica para a validade ética e jurídica de um PEP/RES.

Recentemente, o prontuário eletrônico tem tido muito destaque na mídia justamente pelo fato de as pessoas terem encontrado novos benefícios que essa solução pode proporcionar. Este artigo explicará mais detalhadamente tais pontos.

Dentro disso, houve um importante marco regulatório que foi a publicação da Resolução CFM Nº 1821/2007.

Se você deseja conhecer os conceitos-chave da Certificação de Software e Certificação Digital, os órgãos elaboraram uma cartilha explicando como funciona esse processo.

“Com o prontuário eletrônico, o médico poderá dedicar mais ao seu paciente

É importante conhecer as certificações necessárias para saber quais empresas então de acordo com os padrões de qualidade antes de contratá-las.

Porque o prontuário eletrônico é tão importante?

Antes falarmos sobre os benefícios do prontuário eletrônico, mostraremos a importância desta solução para as instituições.

O prontuário funciona como um livro sobre a vida do paciente. Lá o médico poderá encontrar desde dados socioeconômicos até as principais informações sobre a saúde do paciente.

Além de ter acesso a todas essas informações, o que possibilitará um diagnóstico muito mais assertivo, é possível incorporar todas elas em apenas um local. Também é possível que diversos profissionais acessem a base simultaneamente. 

Depois dessa breve descrição, partiremos para os principais benefícios do prontuário eletrônico.

Principais benefícios do Prontuário Eletrônico

Diminuir a quantidade de erros

Por se tratar de um sistema que precisa se adequar a diversos parâmetros para funcionar, isso elimina uma enorme quantidade de erros.

Caso precise de alguma correção ou atualização, esta é feita em tempo real. Ele também viabiliza o monitoramento da reação do paciente a outros tratamentos, por exemplo.

Além da possibilidade de acesso a qualquer hora e lugar, também é possível que mais pessoas acessem os dados simultaneamente. Sem contar que o preenchimento das informações é muito mais rápido e acessível/legível.

Gestão da Informação

É preciso admitir que o prontuário de papel é obsoleto! Mesmo que muitas clínicas continuem o utilizando, todos sabemos que esse processo poderia ser melhor, mais rápido e mais seguro.

Dentre algumas de suas limitações, destacam-se:

  • Informação disponível para um profissional por vez;
  • Mobilidade baixa e lenta;
  • Está sujeito a ilegibilidade;
  • Pode gerar ambiguidade;
  • Frequente perda de informações;
  • Lentidão no preenchimento;
  • Ocupa um considerável espaço físico;
  • Dificuldade de pesquisa coletiva;
  • Falta de padronização;
  • Suscetível à fragilidade do papel, ação do tempo e problemas de armazenagem;
  • Necessita de serviços de arquivamento e ocupa tempo de outros profissionais.

Ao contrário do prontuário eletrônico, o tradicional apenas atrasa a instituição e trava seu crescimento. Para um melhor controle da informação, é necessário investir nessa solução.

As informações no prontuário eletrônico dificilmente se perderão

Para que haja perda das informações de um prontuário eletrônico, é preciso acontecer um seríssimo colapso dos sistemas ou alguma catástrofe mundial.

Ao contrário do prontuário tradicional, as informações contidas em um prontuário eletrônico dificilmente se perderão. Informações importantes como toda a trajetória hospitalar de alguém precisam de uma atenção muito especial.

Lembre-se, elas são essenciais para que outro profissional dê continuidade no tratamento sem que ele seja atrasado ou prejudicado por algum problema com o prontuário.

Outra dúvida frequente quando o assunto envolve conteúdo sigiloso e tecnologia é: como as informações não serão roubadas ou hackeadas?

Isso é praticamente impossível acontecer pelo fato das mensagens serem criptografadas antes de serem enviadas ao servidor. Desta forma, elas não correrão o risco de serem interceptadas por alguém mau intencionado.

Obviamente, existem algumas desvantagens a respeito do prontuário eletrônico, mas estas não têm relação com a falta de segurança (costumam ter maior relação com a receptividade da equipe quanto à tecnologia, investimento em hardware e software, etc).

E então?

A tecnologia continua evoluindo para facilitar o dia a dia dos seres humanos e o prontuário eletrônico é mais uma prova disso. Ele é de longe a melhor opção para qualquer instituição de saúde que busca melhorar seus processos, evoluir e crescer economicamente.

Apesar de a gestão da informação ser um problema comum das instituições atualmente, é bom saber que existem ótimas formas de resolvê-los.

Gostou do artigo ou ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco!

EbookDezCTA