CM Tecnologia / Jornada do Paciente  / Como atrair pacientes para o seu hospital: 3 dicas importantes!

Como atrair pacientes para o seu hospital: 3 dicas importantes!

Afinal de contas, de que forma os maiores hospitais do Brasil tem atraído seus pacientes? Qual o segredo para ter um público fiel ao seu negócio?

Hoje, é nítido perceber que os casos hospitalares de sucesso possuem características em comum, como a inserção no ambiente online e a humanização do trabalho. Dessa forma, analisar o que faz quem está à frente no mercado é uma ótima maneira de se inspirar para crescer ainda mais.

Se isso tem sido uma questão constante dentro da sua instituição, não se preocupe: depois de investigar alguns cases, nós separamos 3 dicas para dizer às pessoas que você tem o melhor atendimento. Confira!

Atraia pacientes para o seu hospital em 3 dicas

1. Olhe para dentro!

Sem sombra de dúvidas, olhar para dentro da própria instituição é o primeiro passo para atrair novos pacientes. Sabe por quê? Pois é dessa forma que você perceberá de que tipo de pessoas seu público é constituído, algo fundamental para compreender como mais gente pode se lembrar do seu hospital.

Portanto, desenvolva pesquisas e formulários (vale usar tanto a Internet quanto o papel!), reforçando a importância dos colaboradores conhecerem quem está prestes a se consultar. Somente após definir seu público-alvo uma instituição estará apta a direcionar os esforços para outros clientes.

Além disso, olhando para o que acontece internamente a um hospital, você também é capaz de perceber quais são os pontos mais fortes – e que poderão ser utilizados para captar novas pessoas. Seu call center tem boa fama? Saiba como vendê-lo!

2. Invista no marketing digital 

É impossível falar da captação de novos pacientes sem mencionar as potencialidades do marketing digital.

Isso porque, atualmente, o comportamento das pessoas em muito se distancia do esperado no setor médico: para além de se consultarem, os usuários desejam se inteirar acerca das novas ferramentas do hospital, curtirem sua página e tirar dúvidas pela Internet.

Para uma organização hospitalar, o fenômeno abre um terreno repleto de opções: vale caprichar na sua página do Facebook, aproveitando para impulsionar seus posts, abrir um canal de perguntas e respostas médicas no Youtube ou investir no Linkedin.

Se você ainda é resistente em relação ao online, saiba que presença constante nas mídias sociais significa uma coisa: mais gente conectada à sua clínica a um palmo de distância. Logo, no momento em que alguém precisar daquele socorro clássico, é mais provável que o paciente se lembre de você. Marque presença!

O poder de um bom site

Convenhamos: de que adianta caprichar nas postagens nas redes se seu site institucional está uma verdadeira bagunça? Lembrando que, hoje, os sites são partes fundamentais da identidade de qualquer negócio, é muito importante estar atento às informações que ele contém.

Se coloque no lugar de um desconhecido que navega pela primeira vez, pensando: nossas informações básicas estão aqui? Deixamos claro dados como nosso endereço, telefone e demais formas de contato?

Confira, ainda, se há uma boa navegabilidade – ou seja, facilidade ao longo de suas páginas internas.

Sobre isso, separamos algumas características que fazem toda a diferença e influenciam a experiência do internauta com seu portal:

  • Página com FAQ, perguntas e respostas mais frequentes entre pacientes;
  • Existência de um campo de buscas;
  • Menu de fácil acesso com todas as abas do site;
  • Sistema de agendamento online (com um botão bem visível!).

E aí, já conferiu se o site do seu consultório está 100% ok?

Conteúdos relevantes

Sejamos sinceros: qual a chance de pacientes recomendarem um site institucional pelas redes sociais? Absolutamente nenhuma.

Porém, se isso é o que você deseja, há outras formas de fomentar o compartilhamento da sua página. Um bom exemplo é criando conteúdos interessantes sobre vida e saúde dentro dele.

Caso seu portal já conte com um blog, alimente-o com tudo aquilo que você acredita que o paciente gostaria de saber: dicas para uma vida saudável, como detectar uma enfermidade a partir dos sintomas, formas de tratamento de doenças…

Aproveite e analise se o conteúdo final chama atenção o suficiente para ser compartilhado por alguém. Se trata de algo que você gostaria de ler enquanto rola seu feed?

Aqui é onde a criatividade, quando aliada a técnicas de produção de conteúdo, entra em jogo!

Google meu negócio

Sabe quando você pesquisa por uma loja online e o google disponibiliza, junto da localização, informações como seu horário de funcionamento e os produtos?

Aqueles dados, que normalmente aparecem à direita na tela, dizem respeito ao Google Meu Negócio – ferramenta que facilita que empresas sejam encontradas quando procuradas pelos usuários.

Seus benefícios: mais visibilidade, busca local facilitada e controle da própria reputação online, já que os usuários podem avaliar seu negócio com estrelinhas.

Ah! Depois do cadastramento, que é bem simples e gratuito, a ferramenta ainda permite que você saiba quantas pessoas acessaram seu site por meio dela. Saiba como fazer todo o processo por aqui.

3. Experiência do paciente e boca a boca

Por fim, mas não menos importante: invista na qualidade do seu atendimento e colha o fruto de ser lembrado por ele. Isso porque, quando você aumenta a satisfação de um paciente, as chances de que seu trabalho seja indicado para os outros é enorme.

Uma boa experiência do paciente decorre de alguns pontos a se atentar:

  • Curto tempo de espera e atendimento;
  • Marcação facilitada de consultas e exames;
  • Trabalho humanizado, que leve em conta os sentimentos e angústias do paciente;
  • Atendentes bem treinadas;
  • Bons canais de comunicação;

Entendendo as razões de alguém indicar seu serviço e trabalhando nelas diariamente, você certamente criará uma leva de pacientes fieis. A consequência? Seu nome sendo repassado para outras pessoas. O processo é natural e todos saem ganhando.

Agora que você já entendeu como atrair novos clientes, que tal dar uma olhada no último e-book publicado pela CM?

CTA (1)

 

Sem comentários
Postar um comentário