CM Tecnologia / Jornada do Paciente  / Saiba como um sistema para hospital ajuda na gestão da clínica

Saiba como um sistema para hospital ajuda na gestão da clínica

Para colocar em prática uma gestão clínica centrada no atendimento em saúde é preciso incorporar elementos. Implantar a tecnologia de um sistema para hospital é uma das opções que facilitará a rotina e agilizará processos.

Usar um suporte lógico não é apenas uma mudança tecnológica, mas também a chance de rever as práticas mecânicas. Com isso, é possível tornar as tarefas mais dinâmicas, aumentando a segurança dos dados e informações.

Ao combinar uma gestão eficiente com um sistema de qualidade otimiza-se o tempo dos colaboradores. Assim, é possível oferecer melhor atenção aos usuários que, uma vez satisfeitos com o serviço, acabam se fidelizando à instituição.

Com isso, há significativa melhora na comunicação entre os profissionais, o que reduz a incidência de erros. Um sistema de gestão pode englobar todo o histórico clínico do paciente e disponibilizá-lo para a equipe de atendimento.

Para os médicos isso representa considerável melhora no processo de tomada de decisão clínica e definição da linha de cuidado. Tudo de forma mais ágil e assertiva.

Existem também as opções que gerenciam diversos setores simultaneamente. Esses softwares acompanham toda a jornada do paciente, além de questões financeiras e administrativas.

A implantação desses sistemas para hospitais consiste no treinamento dos colaboradores e na implementação dos fluxos de trabalho de cada área.

O sistema para hospital no dia a dia

Para alcançar equilíbrio entre qualidade de atendimento e ampliação do faturamento é preciso atentar para quatro requisitos fundamentais:

  1. Módulo assistencial – a implantação do sistema precisa condizer com a mudança de perfil do usuário. Com tanta disponibilidade de informação, os pacientes estão mais conscientes do cuidado com a sua saúde. É preciso, portanto, dispor de soluções intuitivas e oferecer atendimento personalizado.
  2. Módulo de gestão financeira e recursos – com ele é possível planejar o funcionamento da clínica, gerindo cobranças e pagamentos. Assim, é possível preparar-se para um crescimento sustentável a longo prazo.
  3. Automatização de processos – atividades como agendamento podem ser transferidas ao ambiente virtual, reduzindo erros humanos e concentrando os colaboradores em atividades mais estratégicas.
  4. Mobilidade – este requisito garante que o programa seja acessado de qualquer lugar, facilitando a vida dos médicos e pacientes.

Estas premissas definem os recursos que serão aplicados em investimentos, determinando como manter a qualidade dos serviços dentro do orçamento. Assim é possível avaliar perdas e analisar a evolução das glosas.

Com isso, o papel do profissional de faturamento passa a ser o de auditor de contas. O cruzamento dos dados disponibilizados identifica gaps e possibilita o desenvolvimento de uma estratégia que resolva os problemas.

O uso dessa tecnologia tem impacto em todo o funcionamento do hospital. A gestão de estoque torna-se mais eficaz, a cobrança das operadoras de saúde é exata e aumenta-se o controle de procedimentos.

O sistema de gestão, além de gerir glosas, tem a função de evitá-las. As informações reunidas e disponibilizadas em um mesmo local ajudam a comprovar às operadoras que as cobranças estão corretas.

Isso aumenta o faturamento e gera economias consideráveis ao diminuir significativamente o uso de papel e tinta. O gestor pode então avaliar o que a instituição é capaz de ganhar sem ter perdas que comprometem o serviço.

O papel da auditoria neste contexto

O auditor é a figura que gerencia e fiscaliza as atividades desenvolvidas na instituição. É ele quem auxilia o gestor a identificar erros que causam prejuízo, promovendo um trabalho de qualidade.

Desse modo, uma proposta que relaciona custo e benefício é estabelecida para melhorar a qualidade do atendimento. O uso de sistemas facilita a utilização e organização de recursos.

Isso diminui a ocorrência de retrabalhos, complexidade desnecessária e desperdício de tempo e material. Consequentemente a instituição alcança novos níveis de eficiência, satisfação e segurança de dados.

A auditoria específica para o setor de saúde deve seguir normas técnicas e administrativas, que visam:

  • evitar a execução de procedimentos desnecessários;
  • abolir práticas ruins em todo o processo de atendimento;
  • monitorar a qualidade dos serviços;
  • equilibrar padrões e resultados da assistência;
  • estabelecer o funcionamento e desempenho de todos os serviços.

Além disso, é função da auditoria fiscalizar contratos e ter conhecimento dos acordos estabelecidos entre as partes. O sistema para hospital entra nesse cenário para facilitar e integrar a rotina das instituições.

Modalidades da auditoria hospitalar

Com dimensões, níveis e aplicações diferentes, a auditoria pode assumir vários papéis, são eles:

  • prevenção – os procedimentos devem ser validados antes de serem realizados;
  • operação – é feita a observação direta dos fatos durante e após os procedimentos, com acompanhamento do prontuário do paciente;
  • contábil – acontece antes do envio da conta final, garantindo que todas as cobranças estejam corretas;
  • analítico – analisa os relatórios e processos levantados na prevenção e operação, gerindo com excelência os recursos organizacionais;
  • administrativo – avalia questões relacionadas às necessidades do paciente.

A auditoria é fundamental na gestão e faz com que os hospitais sobrevivam e se destaquem no mercado. Além disso, favorece a qualidade do atendimento e dos serviços prestados, ao mesmo tempo que proporciona equilíbrio financeiro.

Benefícios do sistema para a farmácia hospitalar

A farmácia hospitalar abrange as áreas: administrativa, de faturamento e de atenção ao paciente. Além disso, é responsável pela garantia da qualidade e revisão constante dos medicamentos e materiais.

Com um bom sistema de gestão é possível realizar um controle eficaz do estoque. Agilizando o processo de preparação dos materiais e medicamentos necessários em uma cirurgia pela integração de setores.

Entre os deveres correspondentes ao setor farmacêutico estão:

  • determinar quanto será comprado de cada material;
  • identificar prazos de validade ou danos;
  • realizar inventários;
  • atender a demanda de medicamentos e materiais para cirurgias;
  • registrar a saída de produtos.

Assim é calculado o parâmetro de compra que servirá de base para atualização constante do estoque. Com a informatização dos processos esses dados passam a ser mensurados com frequência e exatidão.

Um bom planejamento é necessário para que haja um padrão neste processo. Ao contratar um sistema, o cálculo de parâmetro é automático e fica disponível para verificação do estoque.

Integrando softwares

Para potencializar o funcionamento do programa é possível contratar um software hospitalar. Após a integração, os dois sistemas passam a funcionar juntos para otimizar o funcionamento da unidade de saúde.

É possível contratar serviços diversos, que oferecem marcações de consultas on-line, confirmação automática de procedimentos, pagamentos facilitados e outros.

Entre as opções disponíveis no mercado, a CM Tecnologia se destaca pela preocupação com a excelência do atendimento e agilidade dos procedimentos.

Para entender como funciona essa integração com o sistema para hospital é só acessar o vídeo explicativo, e descobrir todas as facilidades que a tecnologia tem a oferecer.

EbookDezCTA (1)

Sem comentários
Postar um comentário