CM Tecnologia / Gestão Cirúrgica  / Telemedicina: saiba mais sobre essa tendência de saúde

Telemedicina: saiba mais sobre essa tendência de saúde

A tecnologia tem avançado cada vez mais, proporcionando melhorias em muitas áreas e aspectos da nossa vida. No setor de saúde, por exemplo, acabou provocando avanços que até pouco tempo eram inimagináveis. Um deles, apesar de não ter sido uma invenção recente, é a telemedicina.

Esse tipo de serviço, aperfeiçoado há pouco tempo, fez com que um conceito antigo ganhasse novas dimensões, revolucionando o atendimento médico ao proporcionar respostas mais rápidas (algo crucial para a sua saúde). Pensando nisso, explicamos tudo o que você precisa saber sobre a tecnologia. Confira!

O que é telemedicina?

A telemedicina já existe desde meados dos anos 50 e acredita-se que teve início em Israel. A prática refere-se ao tratamento médico à distância, independente do meio que está sendo utilizado para realizar este acompanhamento diferenciado.

Contudo, os avanços tecnológicos das últimas décadas proporcionaram que essa alternativa chegasse a novos patamares. Com equipamentos mais modernos e modelos de comunicação mais rápidos, é possível acompanhar pacientes nos quatro cantos do mundo, além da maior capacidade de armazenamento das informações médicas.

A tecnologia e o eHealth

Com computadores mais rápidos e maior capacidade de armazenamento e processamento, é possível ter todas as informações do paciente na rede. Além da facilidade dos médicos para acessar os documentos, este extenso banco de dados tem permitido que os profissionais cheguem a diagnósticos cada vez mais precisos, tendo a possibilidade de comparar casos semelhantes e estabelecer padrões.

A telemedicina se encaixa em um conceito relativamente novo, o eHealth. A ideia por trás disso é, utilizando toda a tecnologia disponível e os conceitos de Inteligência Artificial, criar processos e ferramentas que melhorem cada vez mais a experiência dos pacientes, além de agilizar o diagnóstico.

Rapidez no diagnóstico

Uma das funcionalidades mais utilizadas é a emissão de laudos médicos à distância. Caso você realize um raio-x ou um eletrocardiograma, este exame será enviado para uma equipe de uma das empresas de telemedicina, que será responsável por distribuí-lo de maneira segura e sigilosa para médicos especialistas de todo o país.

Os profissionais que recebem os exames conseguem emitir laudos, que podem sair no mesmo dia ou, em casos mais urgentes, apenas minutos depois. Por também ser uma tecnologia restrita, as empresas de telemedicina fornecem a locação de aparelhos para laboratórios e hospitais que ainda não possuem a estrutura adequada.

Como a telemedicina pode ser aplicada

A possibilidade de fazer tudo à distância e com muita rapidez permite uma troca de informações mais dinâmica entre as instituições de saúde, sendo que essa velocidade pode ser um grande diferencial em emergências. Além disso, proporciona maior interação entre profissionais, tornando possível a consulta e debate de ideias com especialistas do mundo inteiro.

Outra aplicação comum é o acompanhamento de pacientes como doentes crônicos, idosos ou mulheres com gravidez de risco. O orientação médica à distância não exige deslocamento, porém consegue ser feita com muita frequência, engajando cada vez mais o paciente no seu tratamento.

Isso contribui para que ele não esqueça a medicação e fique mais auto-consciente do seu bem-estar.

Outras aplicações para a telemedicina

Apesar de muitos acreditarem que a prática está ligada apenas ao armazenamento dos laudos médicos e atendimento à distância, existem outras formas nas quais a medicina tem se utilizado desta tecnologia ao seu favor.

Cirurgias à distância

Pode até parecer cena de filme de ficção científica, mas já é possível realizar intervenções complexas através da telemedicina com o auxílio dos robôs cirúrgicos. Foi-se o tempo em que era necessário viajar para realizar aquela cirurgia importante com um médico em específico. Mas para tornar este feito possível, é preciso uma equipe presencial competente e sistemas de dados e segurança muito avançados.

Formar novos profissionais

Com o desaparecimento das barreiras físicas, é possível também investir na formação de médicos cada vez mais capazes. Assim, é possível que profissionais de todo o mundo possam transmitir seu conhecimento para jovens médicos em formação que estão longe dos grandes centros urbanos.

A telemedicina vai substituir o atendimento presencial?

Se você acha que as consultas cara a cara com o seu médico estão com os dias contados, saiba que isso provavelmente não irá acontecer. A telemedicina visa dar um suporte ao atendimento médico tradicional, bem como proporcionar maior envolvimento do médico e do paciente durante o processo de acompanhamento.

A prática é uma maneira de conseguir diagnósticos mais rápidos e precisos, porém não descarta a importância do contato no tratamento e identificação de doenças. As novas técnicas são uma combinação do conhecimento humano com as novas tecnologias, sem deixar de lado o cuidado e a empatia.

Quais as vantagens da telemedicina?

Uma das maiores vantagens da telemedicina é fornecer mais escolhas ao paciente, sendo que existe a possibilidade de consultar especialistas em qualquer outro hospital, além da descentralização do atendimento. No Brasil, por exemplo, o maior centro de atendimento médico é na cidade de São Paulo e a telemedicina possibilita que pacientes de outras localidades possam ter acesso a esses profissionais.

Além disso, a qualidade e agilidade na emissão de laudos têm sido um fator revolucionário na medicina, permitindo criar uma base de dados que possa identificar padrões doenças com mais agilidade. Em geral, a telemedicina tem se mostrado um meio de não somente transpor barreiras geográficas, mas também sociais e econômicas, tornando o acesso à saúde de qualidade mais democrático.

Telemedicina no Brasil

Muito mais difundida em países como Canadá e Estados Unidos, a telemedicina tem se expandido cada vez mais no Brasil. Vale lembrar que ela já era utilizada por aqui desde os anos 90, porém com um número de adeptos muito pequeno. Cada vez mais, os hospitais e laboratórios têm se modernizado e as instituições de ensino já possuem centros voltados apenas para seu estudo.

Se no início o Brasil adotou os critérios internacionais de regulamentação, com a expansão  da tecnologia surgiram algumas regras que são aplicadas apenas aqui. De acordo com a legislação brasileira, a empresa prestadora precisa de um médico responsável registrado no Conselho Regional de Medicina, além de se assegurar que os dados do paciente estarão seguros e serão utilizados apenas para fins médicos de maneira responsável.

Este conteúdo foi produzido pela Amil Saúde, parceira de conteúdo da CM Tecnologia. Você pode conhecer mais sobre a empresa clicando aqui.

CTA (2)

Sem comentários
Postar um comentário